o que é ikigai

O que é Ikigai? Tudo o que você precisa saber!

O que é Ikigai? Provavelmente você já viu esta palavra em algum lugar e quer entender o que ela significa, certo?

Confesso que o termo chegou até a mim e, por incrível que pareça, não foi tão simples assim de ter uma ideia clara sobre o assunto e, como foi complicado achar boas informações sobre isso, resolvi criar este guia completo sobre Ikigai para você.

Mas então, qual é o significado de Ikigai? Podemos definir Ikigai como “a sua razão de viver”, ou seja, é “o motivo que faz você acordar todos os dias.”

Em síntese é isso, mas claro que o termo em si possui uma história por trás e muito mais características que aprofundam mais a ideia.

Então, se você já está aqui para entender esse assunto tão interessante, tenho certeza que você vai gostar do que continuei escrevendo aqui.

A Origem do Ikigai e como ficou tão popular

Quando à origem do ikigai, você vai encontrar em muitos lugares que Ikigai é um termo japonês com origem em Okinawa (localidade no Japão) e que esse pode ser o segredo para a população de lá viver por tanto tempo, muitos passando da casa dos 100 anos.

Realmente parece interessante, mas esta é uma ideia bem genérica sobre a origem do termo e que aparece várias vezes na internet (quase como se fosse copiada sempre do mesmo lugar) então eu acabei fazendo algumas pesquisas que me levaram a 3 fontes principais:

1996 – Livro “What Makes Life Worth Living?” – Gordon Mathews

A primeira vez que o termo Ikigai foi mencionado em algo na internet foi por meio de um livro chamado “What Makes Life Worth Living?” de Gordon Mathews que foi publicado em 1996.

Eu acho que o livro não foi traduzido para português, mas seria algo como “o que faz a vida valer a pena de ser vivida”.

No próprio livro, o autor disse que ouviu o termo pela primeira vez por volta de 1980 quando vivia no Japão.

1999 – Artigo ‘Ikigai’ em Idosos Japoneses – Age and Aging

Em 1999, um artigo foi publicado na revista médica “Age and Aging” (revista internacional conceituada) intitulado “’Ikigai’ em idosos japoneses”.

Este é um artigo pequeno, mas contribuiu com bons insights que inclusive trouxe neste texto.

Ele fornece uma perspectiva única e bem importante sobre Ikigai antes da virada do século e da ocidentalização do termo por causa da grande divulgação por meio da internet e das redes sociais.

2009 – Palestra no TED Talk sobre Zonas Azuis – Dan Buettner

Uma década depois, em 2009, Dan Buettner deu uma palestra no TED sobre sua pesquisa das Zonas Azuis e de como viver para ter mais de 100 anos.

Este realmente foi um divisor de águas e fez o termo Ikigai ganhar uma grande popularidade e alcançar um grande público por meio da internet.

Então, é possível dizer que o termo realmente saiu da toca quanto esse TED Talk foi realizado e assim ganhou uma propagação muito grande, principalmente no ocidente onde ele não era tão conhecido assim.

Vendo este crescimento rápido no interesse sobre o Ikigai, fiquei curioso sobre o que tornou o conceito tão popular e acho que alguns trechos que encontrei ma minha pesquisa dão uma ideia do motivo:

  • “O desejo pelo que os japoneses chamam de ikigai é uma experiência humana universal.”
  • “Ikigai, que é o nível mais alto de desejo, pode ser considerado essencialmente o processo de cultivo do potencial interior de alguém que torna a vida significativa.”
  • “As necessidades associadas aos ikigai não são simplesmente iguais aos desejos de satisfação biológica ou aos desejos dos humanos como criaturas sociais. Eles são desejos individuais dos humanos como seres espirituais . ”

Qual o significado de ikigai?

Ikigai não possui uma definição clara nem em inglês nem em português, mas encontrei algumas definições mais claras sobre o termo, veja só:

O termo ikigai tem sua origem na língua japonesa e é composto por: iki e kai.

  • Iki: Refere-se à “vida”;
  • Kai: Sufixo que significa aproximadamente, “a realização do que se espera e espera“.

Os dicionários japoneses definem ikigai em termos como:

  • Ikiru hariai, yorokobi, meate (algo pelo qual viver, a alegria e o objetivo de viver)
  • Ikite iru dake no neuchi, ikite inu kōfuku, rieki (uma vida que vale a pena ser vivida, a felicidade e o benefício de estar vivo).

Isso é muito próximo de como a Wikipedia também o descreve:

  • “O termo ikigai combina duas palavras japonesas: iki significa ‘ vida; vivo ‘e kai significando’ (um) efeito; (um resultado; (uma fruta; (a) valor; (a) uso; (um benefício; (nenhum, pouco) proveito ‘(expressado sequencialmente como gai ) para chegar a’ uma razão para viver (estar vivo); um significado para (para) a vida; o que (algo que) faz a vida valer a pena; uma razão de ser. ‘”

Eu também encontrei ikigai sendo traduzido como:

  • “Razão de ser”
  • “A razão pela qual você acorda de manhã”
  • “A felicidade de estar ocupado .”

E se lermos as definições acima e tentarmos fazer uma síntese poderia ser algo como:

  • Sua “razão de ser” lhe dá uma “razão para viver”.

No que diz respeito às descrições, aqui estão algumas das quais fizeram mais sentido para mim:

  • “O processo de permitir que as possibilidades do eu floresçam.” (Obs: confira o diagrama do Ikigai logo abaixo e veja como parece uma flor desabrochando)
  • “Esta palavra (ikigai) é realmente como um mapa do tesouro . E, este mapa do tesouro pode ajudá-lo a encontrar seu caminho para encontrar coisas maravilhosas sobre você que você pode compartilhar com o mundo, e o mundo vai dizer ‘obrigado’ por isso. ” – Tim Tamashiro
  • “Ikigai é o que, dia após dia e ano após ano, cada um de nós essencialmente vive .”

A verdade sobre o diagrama Ikigai

Quando se faz uma busca no google por Ikigai (principalmente em inglês) chovem resultados falando do diagrama Ikigai.

Mas uma coisa que descobri em minhas pesquisas é que, assim como a origem do termo, esse diagrama não possui uma origem tão clara assim.

Não existe um diagrama original do Ikigai (já que não há clareza nem de sua origem), o que realmente existem são versões adaptadas de diagramas que, de certa forma, encaixam com a ideia de Ikigai.

Por exemplo, a maioria das pessoas associa o ikigai ao diagrama de quatro círculos criado por Marc Winn em 2014, inclusive este é exatamente o diagrama que ganhou o mundo como sendo a representação gráfica do que seria o Ikigai, veja só a imagem:

diagrama ikigai

Mas, três anos depois de criar o diagrama, o próprio Marc revelou a verdade:

  • “Em 2014, escrevi uma postagem no blog sobre o assunto Ikigai. Naquela postagem do blog, mesclei dois conceitos para criar algo novo. Essencialmente, eu fundi um diagrama de Venn de ‘propósito’ com o conceito Ikigai de Dan Buettner, em relação a viver para mais de 100 anos. A soma total do meu esforço foi que eu mudei uma palavra em um diagrama e compartilhei um ‘novo’ meme com o mundo.”

Sendo assim, o próprio criador do famoso diagrama que muitas pessoas consideram como “o Diagrama do Ikigai”, disse que usou como base o diagrama de Venn para criá-lo.

Marc Winn confirmou que o adquiriu do diagrama de Andrés Zuzunaga, que originalmente criou o gráfico em espanhol dois anos antes.

Aqui está o diagrama de propósito de Andrés Zuzunaga, veja só a semelhança:

diagrama andres zuzunaga ikigai
fonte: Andrés Zuzunaga (2012)

Então, Zuzunaga é o original? Este é o verdadeiro diagrama do Ikigai? Bem, não dá para bater o martelo ainda, veja só:

O diagrama criado por Andrés foi criado em 2012, mas tem muita semelhança com o conceito do Hedgehog (porco-espinho) criado por Jim Collins em seu livro “Good to Great” publicado em 2001, veja só a imagem:

diagrama hedgehog
fonte: Livro Good to Great – Jim Collins (2001)

Desde a publicação de Good to Great , Jim Collins atualizou o conceito do Hedgehog (porco-espinho) – originalmente destinado a empresas – para ser aplicado também às pessoas.

Comparando o conceito do Hedge-hog com o Ikigai . Isso é o que parece:

comparativo diagrama ikigai

Dada a quantidade de pesquisas que Jim Collins fez em seu trabalho, eu não ficaria surpreso se sua versão fosse a mais “original” de todas.

Porém o seu trabalho é o resultado de sua própria busca, síntese e coleta de insights que acabaram influenciando na criação do diagrama Hedgehog (porco-espinho).

Então, acho que podemos simplesmente concluir que tudo é uma verdadeira fusão de várias pesquisas e pensamentos.

Mitos de Ikigai: Abordando três grandes equívocos sobre Ikigai

1. Ikigai não está necessariamente relacionado a trabalho ou dinheiro

É incrível a quantidade de artigos e textos que mostram o ikigai como algo relacionado a trabalho ou à prosperidade profissional, mas o termo não necessariamente é ligado apenas a isso. Veja só:

  • “Em uma pesquisa com 2.000 homens e mulheres japoneses conduzida pela Central Research Services em 2010, apenas 31% dos destinatários consideraram o trabalho como seu ikigai. O valor de alguém na vida pode ser o trabalho – mas certamente não se limita a isso. ” – BBC

Outra prova disso é que há evidências de que muitos japoneses continuam perseguindo seus ikigai até o fim de suas vidas:

  • “Muitos japoneses nunca se aposentam de verdade – eles continuam fazendo o que amam enquanto sua saúde permitir.”

Além do trabalho, o ikigai pode ser uma família, um sonho ou simplesmente o sentimento espiritual de que vale a pena viver a vida:

  • “Ikigai pode ser concebido como o ‘objeto’ que faz a vida valer a pena ser vivida ( ikigai taishō ) —o trabalho, família ou sonho — ou como a sensação de que vale a pena viver ( ikigai kan ).”
  • “A palavra ‘ikigai’ é geralmente usada para indicar a fonte de valor na vida de uma pessoa ou as coisas que fazem a vida valer a pena (por exemplo, pode-se dizer: ‘Esta criança é meu ikigai’). Em segundo lugar, a palavra é usada para se referir a circunstâncias mentais e espirituais sob as quais os indivíduos sentem que suas vidas são valiosas. ”

Naturalmente, se o seu ikigai não precisa ser relacionado ao trabalho, o dinheiro pode ser removido do diagrama. Junto com a percepção de que ikigai está relacionado ao trabalho, o círculo para “aquilo pelo qual você pode ser pago” recebe muitas críticas por ser uma interpretação equivocada por ocidentais:

  • “Encontrar as respostas e um equilíbrio entre essas quatro áreas pode ser um caminho para o ikigai para os ocidentais que buscam uma interpretação rápida dessa filosofia. Mas no Japão, ikigai é um processo mais lento e muitas vezes não tem nada a ver com trabalho ou renda . ” – Laura Oliver
  • “Ikigai dá aos indivíduos a sensação de uma vida que vale a pena ser vivida. Não está necessariamente relacionado ao status econômico . Os comportamentos que nos fazem sentir ikigai não são ações que os indivíduos são forçados a realizar, mas são atividades espontâneas que as pessoas realizam de boa vontade. Ikigai é pessoal; ele reflete o eu interior de um indivíduo e o expressa fielmente. Estabelece um mundo mental único no qual o indivíduo pode se sentir à vontade. ”

2. Ikigai não precisa ser visto como um único propósito de vida

É muito comum encontrar pessoas que estão em busca do tão sonhado propósito de vida e que esse propósito é apenas um, no singular. Essa ideia de que há apenas um propósito é incrivelmente rígida e limitadora. Acaba tornando a busca por algo que nos mova muito mais complicada do que precisa ser.

O que aprendi é que:

  • “Ikigai não é algo grandioso ou extraordinário. É algo bastante prático. ” – Gordon Mathews, professor de antropologia
  • “Você não precisa de muita ambição para ser muito feliz, você só precisa de um monte de amigos para beber chá verde e conversar. Livre- se da bagunça e no centro está o seu ikigai. ”  – Héctor García

É sobre o processo versus o objetivo final :

  • “Eu aprendi em minha própria pesquisa com japoneses mais velhos, o que torna o ikigai eficaz é sua ligação inextricável com um senso de domínio – a ideia conhecida como ‘chanto suru’ de que as coisas devem ser feitas corretamente. Como tal, o ikigai enfatiza o processo e a imersão, em vez de um objetivo final. ” – Iza Kavedžija

Ao meu ver nós, seres humanos, temos vidas muito distintas e está tudo bem ter várias coisas que fazem bem para você, o mais importante de tudo é isso que lhe faz bem realmente faça parte de sua vida.

O seu propósito pode estar ligado a várias coisas em sua vida que tornam ela interessante de ser vivida.

3. Seu ikigai pode mudar ao longo de sua vida

É natural que seu propósito evolua com o tempo.

Quando comecei a trabalhar, o que eu mais queria era ter uma coleção de mangás (quadrinhos japoneses) e ficava profundamente feliz quando adicionava mais um a minha coleção.

Hoje não há mais nenhum mangá em minha casa e a saída deles de minha vida abriu espaço para outras experiências e formas de enxergar o que é importante em minha vida.

Não há nada de errado com os mangás que vendi, é que estamos em constante evolução, então eles simplesmente não fazem mais parte da minha jornada, simples assim.

Então, é importante ter consciência de que você pode editar seu propósito de vida em qualquer idade ou momento. É natural que seu propósito evolua com o tempo:

  • “Eles têm um propósito importante na vida, ou vários. Eles têm um ikigai, mas não o levam muito a sério. Eles estão relaxados e gostam de tudo o que fazem. ”

Dicas de Ikigai para você começar

Como você viu, não necessariamente esses diagramas encontrados por ai são 100% ligados ao termo Ikigai. Não existe essa rigidez em atrelar esta forma de viver com algo gráfico como um diagrama e não será este diagrama que vai mudar completamente sua vida.

Claro que esses diagramas ajudam a visualizar um pouco desta forma de enxergar o mundo, logo podem até ser úteis para você, mas o Ikigai em si é algo muito mais simples do que o que pregam por ai.

Livro: O segredo japonês para uma vida longa e feliz – Héctor García e Francesc Miralles.

Uma boa dica para você aprofundar mais o seu conhecimento sobre o Ikigai é lendo o livro: “O segredo japonês para uma vida longa e feliz”  de Héctor García e Francesc Miralles.

Neste livro os autores entrevistaram cem centenários em Ogimi (Okinawa), para tentar entender sua filosofia de vida e segredos que os levaram a ter uma vida tão longa e plena.

Desta grande pesquisa que eles realizaram, os autores desenvolveram suas dez regras de ikigai que, pessoalmente, acredito que entregam mais sobre o Ikigai do que apenas um diagrama, veja só:

  1. Fique ativo; não se aposente.
  2. Vá devagar.
  3. Não encha seu estômago.
  4. Cerque-se de bons amigos.
  5. Fique em forma para o seu próximo aniversário.
  6. Sorriso.
  7. Reconecte-se com a natureza.
  8. Agradeça.
  9. Viva o momento.
  10. Siga seu ikigai.

E ai, gostou do artigo sobre Ikigai, deixe nos comentários a sua opinião.

Pessoalmente foi muito gratificante fazer esta pesquisa e entender mais sobre uma visão de vida tão interessante e que realmente me fez refletir bastante.

Espero, de coração, que este texto tenha lhe ajudado e, se o assunto lhe interessou, tenho certeza que você vai encontrar muitos outros artigos interessantes aqui no site também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × quatro =